Loading...

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

VLT vai começar a circular em dois meses, diz CBTU

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) apresentou hoje (6) o primeiro Veículo Levesobre Trilhos (VLT) que circulará na Região Metropolitana de Natal. Além desse, o segundo deve chegar no fim deste mês em Natal e outros dez chegarão com intervalo de dois meses. A expectativa do órgão é que o VLT comece a circular com passageiros, em fase teste, em dois meses, sem previsão de aumento no valor da tarifa, que custa R$ 0,50.
Pedro Andrade/CelularTrês composições que formam um VLT chegaram a NatalTrês composições que formam um VLT chegaram a Natal

Os 12 VLTs e outras duas locomotivas foram adquiridos por R$ 154 milhões, conseguidos através do PAC Equipamentos. Durante apresentação do veículo na manhã desta quarta-feira, o superintendente da CBTU Natal, João Maria Cavalcanti, falou também sobre modernização darede ferroviária. Para isso o órgão conseguiu R$ 311,65 milhões, através do PAC MobilidadeGrandes Cidades.

Entre as obras previstas estão reforma das 22 estações existentes, criação de outras oito, reparo e substituição de parte da linha férrea e dos dormentes (apoio das linhas), viadutos e túneis para os carros, que devem ser construídos nos cruzamentos com as avenidas João Medeiros Filho, Mário Negócio, Bernardo Vieira, e Capitão Mor Gouveia.

Cavalcanti explica que esses serviços constam no pré-projeto e que cabe à empresa vencedora da licitação - ainda não divulgada - elaborar o projeto executivo que será feito pela empresa que, posteriormente, será contratada via licitação. O prazo inicial é de um ano para elaboração desse projeto.

Cada VLT adquirido, com três composições, tem capacidade para transportar 600 pessoas. Os veículos são climatizados e estão aptos para funcionar com os trilhos e estações existentes.

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Macaíba Connecttv: vereadora Kátia Sena responde às insinuações do blog situacionista.

Resposta a matéria postada no blog Informativo Sem Atitude, que tem por titulo "nos bastidores da política" postada em 26 de julho de 2014, e que eu tomei conhecimento nesse momento.

A matéria sem nexo, diz "o prefeito fará concurso público para guarda municipal e tal decisão derrubou o discurso de uma certa vereadora que alegava aos sete cantos que o atual prefeito não tinha interesse de discutir segurança". A matéria aproveita e diz: "que fechei apoio por baixo dos panos com Henrique".

Em primeiro lugar quero lembrar que essa é a segunda vez que o prefeito e seu grupo, usa esse blog sem atitude para tentar derrubar (como eles mesmo falam) o meu discurso, provando o quanto o executivo se preocupa com ele, ao invés de estarem preocupados com a cidade de Macaíba.

Quanto ao conteúdo da matéria, fico muito a vontade para dizer que o prefeito e seu grupo deveriam colocar em prática as ações para melhorar a segurança, antes de ficar veiculando matéria dizendo que vai fazer isso ou aquilo .... Prefeito, na minha humilde opinião - já passou do tempo de falar que vai fazer...... FAÇA. Eu, como legítima representante do povo, cobro segurança desde o início de 2013, e só agora o Prefeito vem se manifestar, dizendo que vai fazer, aí vem dizer que derruba meu discurso? Prefeito, Linduarte e seu grupo, parem de se preocupar comigo, vocês tem maioria na Câmara e estão com raiva porque o tempo está passando e eu não me curvo a vocês???? Eu não me curvo, porque não fui eleita pelo Executivo e nem para o Executivo, fui eleita pelo Povo e para servir aos interesses do Povo.
 
Eu continuarei desempenhando o trabalho que me foi confiado, continuarei defendendo o povo, se o Prefeito fizer algo pela segurança, que já deveria ter feito, não posso usar a tribuna para rasgar elogios, ele estará desempenhando a função que lhe foi confiada, e espero sinceramente, que ele não esteja prometendo nada porque é ano político, mas que ele faça , porque a cidade precisa. Quanto a mim, não faço nada para aparecer e nem para ser elogiada, faço porque acredito que esse seja o meu dever. Quanto a apoio nessas eleições, o prefeito e seu grupo vir dizer que fechei apoio por debaixo do pano???? quem quer apoio por debaixo do pano ??? Desculpem a franqueza, mas sabemos bem quem queria apoio por debaixo do pano nas eleições municipais.
Texto retirado do Facebook da vereadora

Ônibus com 38 crianças derruba placa de trânsito na Ribeira

Um ônibus escolar que transportava 38 crianças, na manhã desta quinta-feira (31), bateu em Uma placa posicionada para limitar a altura dos veículos que trafegam pela avenida Duque de Caxias, na Ribeira, zona Leste de Natal. Ninguém se feriu, mas o fluxo na via foi interrompido. A placa havia sido posicionada ontem.

Segundo motorista, altura do ônibus é de 3 metrosSegundo motorista, altura do ônibus é de 3 metros

A estrutura, que limita em 3,5 metros a altura máxima dos veículos que trafegam pela via, foi posicionada ontem pela Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), com o objetivo de impedir que veículos voltassem a danificar a estrutura dos abrigos nas paradas de ônibus da área. No entanto, a altura não foi suficiente para um ônibus que trafegava pela manhã.

O veículo estava fretado para a escola Flores de Maria, da zona Norte de Natal. Segundo o motorista, a altura do veículo é de 3 metros, o que seria suficiente para passar pelo local. 

Estudantes seguiam para visita ao campus central da UFRNEstudantes seguiam para visita ao campus central da UFRN

Segundo a professora Jucicléia Silva dos Santos, que acompanhava o grupo, ninguém se feriu e os pais das crianças já foram informadas sobre o incidente. O grupo aguardava a chegada de outro ônibus para levar os estudantes até o Campus da UFRN, destino do passeio.

Além da placa na Duque de Caxias, outra idêntica, na Rua Sachet, ao lado do Teatro Alberto Maranhão, também foi atingida por um veículo na manhã de hoje. Não há, no entanto, a confirmação se foi um ônibus ou caminhão que atingiu a estrutura, que também está bloqueando o fluxo.

Outra placa, na lateral do Teatro Alberto Maranhão, também foi danificadaOutra placa, na lateral do Teatro Alberto Maranhão, também foi danificada

Com os acidentes, a Semob está orientando os motoristas que seguem para os arredores do TAM, seja pela avenida Tavares de Lira ou pela avenida Rio Branco, a optarem pela faixa da direita da avenida Duque de Caxias, até que as estruturas sejam recuperadas.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Transporte escolar: 97% dos veículos estão em situação irregular

A equipe de vistoriadores do Detran fará uma inspeção, no sábado (2), em veículos que realizam o transporte escolar em Parnamirim e Ceará-Mirim. A ação é parte de um cronograma de inspeção regular dos veículos utilizados no transporte de estudantes de escolas públicas do interior do Estado. Atualmente, aproximadamente 97% da frota está em situação irregular.

Segundo Detran, dos 1.792 veículos vistoriados, 1.616 foram considerados inaptosSegundo Detran, dos 1.792 veículos vistoriados, 1.616 foram considerados inaptos

Segundo o Detran, os vistoriadores estiveram neste ano em 18 cidades-polo. O balanço apresentado até o momento indica que 1.792 veículos foram vistoriados, dos quais 1.616 foram considerados inaptos e 50 passaram sem nenhuma restrição pela verificação. Os dados colocam ainda que 126 veículos foram apenas vistoriados e seus responsáveis não retornaram para dar sequencia ao processo legal de inspeção.

Segundo o chefe de gabinete do Detran, Manuel Ferreira, todo o processo vai ser repetido no segundo semestre deste ano. “Após a finalização do calendário inicial neste fim de semana, passaremos a programar as ações do segundo semestre. Neste primeiro momento, os ônibus fiscalizados não estão sofrendo qualquer punição, visto que o acordo firmado com o MPE direciona para uma orientação aos proprietários dos veículos. Entretanto, os casos mais graves não estão incluídos nesta ressalva".

A vistoria do sábado vai ocorrer nas unidades do Detran nas cidades.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Criador de 'Dilma Bolada' diz que tirou perfil do ar por causa da eleição

O autor do principal personagem satírico da presidente Dilma Rousseff na internet, Jeferson Monteiro, justificou que retirou do ar os perfis da "Dima Bolada" do Facebook e do Twitter em razão da campanha eleitoral. Ele vai decidir se continuará ou não a manter os perfis nas redes sociais durante o período eleitoral e depois das eleições.
Monteiro disse que precisa "pensar um pouco sobre os tempos difíceis que estão por vir".
Em foto no Instagram, Dilma Rousseff posa para foto ao lado do humorista Jéferson Monteiro, do Dilma bolada (Foto: Reprodução/ Instagram Palácio do Planalto)Em foto no Instagram, Dilma Rousseff posa para foto
ao lado de Jeferson Monteiro, do Dilma bolada
(Foto: Reprodução/ Instagram Palácio do Planalto)
"Entramos no período eleitoral e esse ano não vai ser mole. Há alguns dias foi liberada a campanha e é muito ruim saber que você pode fazer a diferença mas ver que está quase sozinho no meio de uma tormenta que é a internet, e que tem tudo para piorar", disse em post em seu perfil no Facebook.
Ele considerou "imoral" a forma como os adversários de Dilma estão "se portando" nas redes. "A internet é um território livre em que há pessoas bem e mal intencionadas. E acho que todos devem ter conhecimento de que veremos a intensificação da guerra da desinformação que já corre solta pela web."
Monteiro disse também que, com a proximidade da eleição, o ambiente ficará ainda mais "hostil" e que precisa avaliar como vai atuar durante a campanha.
criador do perfil destacou que "admira" e "respeita" Dilma e que, independentemente da decisão que tomar, terá a "sensação de dever cumprido".
"Reitero que eu irei decidir o que deve ser feito. E já adianto que caso a Dilma Bolada não volte, estarei traquilo e com sensação de dever cumprido. Mas caso volte, continuará sendo o que sempre foi, ainda mais forte e mais presente e o choro vai ser livre!", brincou.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Candidaturas: app mostra os políticos que disputam cargos nas Eleições 2014

Pode não parecer, mas elas estão chegando: em menos de três meses, milhões de brasileiros sairão às urnas para votar em seus candidatosfavoritos para governador, deputado federal, deputado estadual, senador e presidente. Ciente de que muita gente ainda nem sabe quais são os candidatos envolvidos nas Eleições 2014 — e de que os dispositivos móveis estão mais na moda do que nunca —, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já colocou no ar o primeiro de três serviços sobre o pleito.
O app Candidaturas traz, de forma resumida, informações sobre todos os candidatos que se registraram na Justiça Eleitoral e poderão receber votos em 5 de outubro de 2014. Esses dados incluem nome completo, número na urna, partido, coligação e link para site do político. Você pode baixá-lo para Androidpara iOS.
Vale lembrar, entretanto, que o app conta apenas com um resumo do cadastro dos candidatos. No DivulgaCand, que faz parte do site do TSE, há informações como renda declarada, certidões e previsão de gastos para a campanha.

Vem mais por aí

E o TSE não está satisfeito só com um app: mais dois serviços mobile serão lançados até outubro. O segundo usará o sistema de localização do gadget para mostrar as seções eleitorais próximas de você (e ajudá-lo a encontrar a sua), enquanto o terceiro permitirá o acompanhamento da apuração dos resultados em tempo real.

Morre aos 87 anos o escritor Ariano Suassuna, o cavaleiro do sertão.

O escritor paraibano Ariano Suassuna morreu nesta quarta-feira, aos 87 anos. Ele estava internado no Real Hospital Português, em Recife, Pernambuco, desde segunda-feira, depois de sofrer um acidente vascular cerebral hemorrágico. O autor passou por uma cirurgia de emergência, acabou entrando em coma e não resistiu. Integrante da Academia Brasileira de Letras, Suassuna teve seis filhos e 15 netos. Defensor da cultura popular brasileira, era um dos maiores dramaturgos do país, além de autor de romances e poemas.
No dia 21 de agosto do ano passado, ele foi atendido no mesmo hospital por causa de um infarto, “com comprometimento cardíaco de pequenas proporções”. Uma semana depois, passou mal e voltou a ser internado, sendo submetido a uma arteriografia para corrigir um aneurisma que vinha lhe provocando fortes dores de cabeça.
Nascido em 16 de junho de 1927 em Nossa Senhora das Neves, hoje João Pessoa, capital da Paraíba, Ariano Vilar Suassuna era filho de João Suassuna, então governador de seu estado natal. Com o fim do mandato, um ano depois, toda a família se mudou para o interior.
O velho contador de histórias do sertão tinha apenas 3 anos quando um fato trágico marcou sua infância. No desenrolar da Revolução de 1930, um pistoleiro de aluguel assassinou seu pai com um tiro pelas costas, numa rua do Rio de Janeiro.
O assassinato foi motivado por boatos que apontavam o patriarca da família Suassuna como mandante da morte de João Pessoa, seu sucessor no governo, fato que serviu de estopim para a revolução. Um ambiente assim, com dívidas de sangue e rivalidade entre famílias, cobrava dos órfãos a vingança. Mas, um dia antes de ser assassinado, João Suassuna deixou uma carta aos nove filhos pedindo que eles não se tornassem assassinos por sua causa.
UMA BIBLIOTECA DE HERANÇA

Matheus Nachtergaele e Selton Mello na versão de "Auto da Compadecida" para o cinema dirigida por Guel Arraes no ano 2000 - Divulgação/Nelson di Rago
Ariano Suassuna obedeceu. Em vez disso, dizia estar perto de perdoar os criminosos que mataram seu pai. A mãe e viúva também ajudou, ao dizer que o pistoleiro responsável pelo crime já havia morrido (era mentira). Com a tragédia, a família mudou-se para a pequena cidade de Taperoá, no interior da Paraíba. E Ariano herdou a biblioteca do pai, onde encontrou livros importantes para sua formação. Um dos mais importantes, sem dúvida, foi “Os sertões”, de Euclides da Cunha. A obra lhe apresentou um dos personagens que mais marcaram sua vida: Antônio Conselheiro, profeta e líder de Canudos.
Em 1942, Suassuna foi para Recife concluir o ensino básico. Anos depois, na faculdade de Direito, ajudou a fundar o Teatro do Estudante de Pernambuco. Em 1947, encenou sua primeira peça: “Uma mulher vestida de sol”. Nove anos depois, levaria aos palcos seu texto mais conhecido, “Auto da Compadecida”, que ganharia adaptações na TV e no cinema.
Por causa do teatro, deixou o Direito de lado seis anos após ter se formado. O romance surgiu mais tarde em sua vida. Em 1971, Ariano Suassuna lançou seu “Romance d’a pedra do reino e o príncipe do sangue vai-e-volta”, com nome comprido como seus cordéis tão adorados e pensado para ser uma trilogia. Com o livro, o escritor avança em relação à literatura regionalista dos anos 1930, representada por João Guimarães Rosa e José Lins do Rego. Mais tarde, Ariano Suassuna diria que “A pedra do reino” era, de certa forma, uma tentativa de trazer seu pai de volta à vida.
Havia quem acusasse o escritor de lutar contra moinhos de vento: o escritor se apresentava como um defensor da cultura popular brasileira, contra a invasão da indústria cultural norte-americana. Falava mal de Madonna e Michael Jackson. Não à toa, quando foi secretário de Cultura do governo Miguel Arraes, nos anos 1990, tornou-se um ferrenho opositor do maracatu eletrônico e do manguebeat. Ele se recusava, por exemplo, a chamar Chico Science, o vocalista da Nação Zumbi, pelo nome artístico. Dizia “Chico Ciência”.


A defesa da cultura nacional, que muitas vezes lhe rendeu o rótulo de xenófobo, já vinha no sangue e no nome da família. Na onda nacionalista depois da Independência, em 1822, vários brasileiros adotaram nomes indígenas. Seu bisavô Raimundo Sales Cavalcanti de Albuquerque escolheu Suassuna, de origem tupi, e nome de um riacho da região onde a família vivia. Nos anos 1970, fazendo jus ao nacionalismo da linhagem, Ariano fundou o Movimento Armorial, que defendia a criação de uma cultura erudita com bases na cultura popular — e toda a sua obra orbita em torno desse ideal.

Em 1989, o sertanejo foi eleito para a cadeira de número 32 da Academia Brasileira de Letras, cujo patrono era Araújo Porto-Alegre. Sexto ocupante da cadeira, Suassuna nunca foi um imortal de frequentar os eventos da instituição. Era uma espécie de filho pródigo da ABL.
NOVA OBRA VINHA SENDO ESCRITA HÁ MAIS DE 20 ANOS
Para além de sua obra, o escritor paraibano ficou famoso também por dar aulas em que dissecava a cultura brasileira, as suas origens ibéricas, a tradição dos violeiros, dos cantadores, das rabecas, dos cordéis. Eram aulas-espetáculo. E a última foi na sexta-feira passada, no 24º Festival de Inverno de Garanhuns, a 230 quilômetros de Recife. O Teatro Luiz Souto Dourado ficou lotado, como sempre acontecia nesses eventos. Um dos motivos de tanto sucesso era o bom humor do escritor, uma de suas marcas. Não que tenha sido sempre assim. Suassuna atribuía o aparecimento do humor em sua vida ao encontro com Zélia, sua mulher há mais de 50 anos. Para Suassuna, ela havia “desatado alguma coisa” dentro dele. “O riso a cavalo e o galope do sonho são as duas armas de que disponho para enfrentar a dura tarefa de viver”, escreveu em “A pedra do reino”.

Ariano Suassuna e sua mulher, Zélia, em março de 2000 - Agência O Globo/Josenildo Tenório/6-3-2000
Ariano Suassuna trabalhava em um novo livro havia mais de 20 anos, e dizia estar longe de terminar. Não era para menos. Seu processo de criação era lento: escrevia e reescrevia, várias vezes, à mão. Depois, copiava para a máquina de escrever e, só então, corrigia. Era aí que o escritor passava tudo a limpo, novamente à mão. Às vezes, descartava todo o material e voltava ao começo do processo. Como ilustrava os próprios livros e ainda parava para dar suas famosas aulas-espetáculo pelo país, demorava mais ainda. Sem título, o romance seria a continuação de “A pedra do reino”.

Além do amor pela literatura, havia espaço para o futebol: seu time do coração era o Sport Club do Recife, que até o homenageou em seu uniforme em 2013 com uma frase que ele costumava repetir: "Felicidade é ser Sport". Suassuna tinha fama de pé quente.
Entre as muitas homenagens que recebeu, uma das que mais o marcaram foi o desfile da escola de samba Império Serrano, que levou para a avenida o enredo "Aclamação e coroação do imperador da pedra do reino Ariano Suassuna", em 2002. "Um escritor que ama o seu país não pode querer homenagem maior que esta", disse.
Em 2007, ele assumiu a secretaria de Cultura de Pernambuco a convite do governador Eduardo Campos, e chegou a ocupar outros cargos até deixar o governo recentemente, em abril de 2014.
O ano de 2007 também foi marcado pela celebração dos 80 anos do escritor em todo o Brasil. As homenagens o levaram a viajar de Norte a Sul do país. Uma epopeia para um homem que, além de apreciar o sossego, detestava avião. Mesmo assim, o apaixonado e muitas vezes polêmico defensor da cultura popular brasileira seguia adiante. Mas brincava: se soubesse que chegar aos 80 anos daria tanto trabalho, teria ficado nos 79.