Loading...

quinta-feira, 25 de abril de 2013

E se a terra parasse de girar?

O que aconteceria se, de repente, a Terra parasse de girar?
Você alguma vez parou para pensar no que poderia acontecer caso a Terra, nosso querido e maravilhoso planetinha, de repente parasse de girar? Bem, alguém pensou nessa questão, enviando a pergunta ao pessoal do site Ask a Mathematician/Ask a Physicist, que gentilmente pensou em algumas possibilidades e publicou uma interessante resposta.

Garoto de 9 anos nos ensina sobre o universo e sobre a vida




segunda-feira, 22 de abril de 2013

Proibida a cobrança de tarifa de boleto bancário do Banco do Brasil em todo o território nacional:


Proibida a cobrança de tarifa de boleto bancário do Banco do Brasil em todo o território nacional: http://bit.ly/17o6tWr

A decisão, de segunda instância, é do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, mas vale para todo o país e só pode ser derrubada pelo Supremo Tribunal Federal.

Além de não poder mais fazer a cobrança, o banco terá de trocar os boletos em poder dos correntistas por outros isentos das tarifas. A instituição também foi obrigada a publicar a decisão nos jornais e a depositar R$ 2 milhões no Fundo de Defesa dos Direitos Difusos, operado pelo Ministério da Justiça, como indenização coletiva por descumprir os direitos do consumidor.
Foto: Proibida a cobrança de tarifa de boleto bancário do Banco do Brasil em todo o território nacional: http://bit.ly/17o6tWr

A decisão, de segunda instância, é do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, mas vale para todo o país e só pode ser derrubada pelo Supremo Tribunal Federal.

Além de não poder mais fazer a cobrança, o banco terá de trocar os boletos em poder dos correntistas por outros isentos das tarifas. A instituição também foi obrigada a publicar a decisão nos jornais e a depositar R$ 2 milhões no Fundo de Defesa dos Direitos Difusos, operado pelo Ministério da Justiça, como indenização coletiva por descumprir os direitos do consumidor.

STF divulga acórdão do julgamento do mensalão:


http://bit.ly/Zx3x9k

O STF divulgou hoje, no Diário da Justiça Eletrônico, o acórdão do julgamento da Ação Penal 470, o processo do mensalão. O documento reúne os votos dos ministros e os prin...Ver mais

Você conhece o Portal da Transparência?

Foto: Você conhece o Portal da Transparência? http://www.portaldatransparencia.gov.br/ 

As Páginas de Transparência têm como missão promover a visibilidade dos gastos públicos e incentivar o controle social para que as práticas da Administração Pública sejam pautadas pela legalidade e ética. 

Os órgãos e entidades da Administração Pública Federal são responsáveis por manter, nos seus respectivos sites, Página de Transparência Pública, cabendo à Controladoria-Geral da União manter disponível repositório com informações que formarão o conteúdo mínimo a ser divulgado. A ampliação da divulgação das ações governamentais a milhões de brasileiros, além de contribuir para o fortalecimento da democracia, prestigia e desenvolve as noções de cidadania. 

Fique ligado, saber qual o destino do dinheiro público é um direito seu!
Você conhece o Portal da Transparência?http://www.portaldatransparencia.gov.br/ 

As Páginas de Transparência têm como missão promover a visibilidade dos gastos públicos e incentivar o controle social para que as práticas da Administração Pública sejam pautadas pela legalidade e ética.

Os órgãos e entidades da Administração Pública Federal são responsáveis por manter, nos seus respectivos sites, Página de Transparência Pública, cabendo à Controladoria-Geral da União manter disponível repositório com informações que formarão o conteúdo mínimo a ser divulgado. A ampliação da divulgação das ações governamentais a milhões de brasileiros, além de contribuir para o fortalecimento da democracia, prestigia e desenvolve as noções de cidadania.

Fique ligado, saber qual o destino do dinheiro público é um direito seu!


Alimentos em valor fixo não incidem sobre 13º salário Compartilhe


A pensão alimentícia estabelecida em valor e periodicidade fixos não incide sobre 13º salário e outras verbas trabalhistas. A decisão é da 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça, que entendeu que, uma vez transitada em julgado a sentença que fixou os alimentos, configura ofensa à coisa julgada a determinação de que o valor seja pago com base em outras verbas recebidas pelo alimentante.
Com esse entendimento, a Turma deu provimento a recurso especial contra decisao do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.
Na ação de alimentos, a pensão foi fixada em dez salários mínimos, sem obrigação de qualquer outra despesa, a serem pagos todo dia 10 de cada mês. Em execução, o juízo expediu ofício dirigido ao empregador do alimentante, determinando o desconto da pensão em folha de pagamento, incidindo também sobre 13º salário, PIS/Pasep, FGTS e demais verbas rescisórias. O TJ-RJ havia mantido essa decisão.
Princípio da isonomia
O ministro Luis Felipe Salomão, relator do recurso, destacou que a 3ª Turma do STJ já decidiu que o 13º salário deve integrar a base de cálculo da pensão alimentícia, mesmo quando for estabelecida em valor mensal fixo. Os ministros consideraram que, pelo princípio da isonomia, todos os alimentados devem ser tratados da mesma forma.
Contudo, a 4ª Turma adotou entendimento diverso. Segundo o relator, não se pode falar em isonomia entre alimentados que possuem condições pessoais diferentes. Por isso, entende que a pensão arbitrada em valor fixo deve ser analisada de forma diversa das estabelecidas em percentuais sobre vencimentos.
Montante fixo
Reforçando a tese, o relator ponderou ainda que eventuais flutuações dos rendimentos do alimentante para cima ou para baixo, ou mesmo sua supressão não alteram o valor devido. Por essa razão, o recebimento de parcelas trabalhistas a título de 13º, férias ou outras verbas dessa natureza não influencia a dívida consolidada. A dívida existe, é certa e deve ser paga na data fixada, independentemente da circunstância, apontou o ministro.

Empresa que fazia sucessivas contratações por prazo determinado é condenada em danos morais coletivos Compartilhe

Foto: Empresa que fazia sucessivas contratações por prazo determinado é condenada em danos morais coletivos: http://bit.ly/ZJxKOC 

A regra geral, prevalente no Direito do Trabalho, é a de que a contratação do trabalhador se dê por prazo indeterminado. Assim, as contratações por prazo determinado são excepcionais e apenas podem ocorrer nas hipóteses taxativamente previstas na legislação, como no contrato de experiência, bem como nos contratos por prazo determinado para atender serviços especificados ou para a realização de certo evento passível de previsão aproximada. Essa modalidade de contratação não pode ser utilizada com o objetivo de sonegar direitos trabalhistas.


A regra geral, prevalente no Direito do Trabalho, é a de que a contratação do trabalhador se deu por prazo indeterminado. Assim, as contratações por prazo determinado são excepcionais e apenas podem ocorrer nas hipóteses taxativamente previstas na legislação, como no contrato de experiência, bem como nos contratos por prazo determinado para atender serviços especificados ou para a realização de certo evento passível de previsão aproximada. Essa modalidade de contratação não pode ser utilizada com o objetivo de sonegar direitos trabalhistas.
Sob esse fundamento, a 2ª Turma do TRT-MG julgou favoravelmente o recurso apresentado pelo Ministério Público do Trabalho para acolher os pedidos formulados em ação civil pública, condenando a empresa reclamada a se abster de efetuar a contratação de temporários fora das hipóteses previstas na legislação específica, sob pena de multa diária de R$500,00 por trabalhador, e a pagar indenização por dano moral coletivo, em favor do FAT Fundo de Amparo ao Trabalhador.
No caso, foi apurado que ocorriam contratações sucessivas de empregados essenciais ao empreendimento (ajudantes de obra, armadores, marteleiros, pedreiros refratários, etc). Contratava-se um para substituir outro em idêntica função, sob a forma de contrato por prazo determinado, em intervalos inferiores a 6 meses. Houve um grande número de admissões e dispensas efetuadas pela empresa, como revelaram os dados do CAGED, sendo que o número de contratações era proporcional ao do término dos contratos. Ademais, quase metade dos trabalhadores pertencentes ao quadro da ré foram contratados por prazo determinado, quando não havia qualquer justificativa para essa forma de contratação, já que não se tratava de trabalho específico ou temporário.
Esses fatos, como concluiu a juíza relatora convocada Sabrina de Faria Fróes Leão, demonstram que a empresa usava essa modalidade de contratação para burlar a legislação trabalhista. "Trata-se, na realidade, de contratação de trabalhadores que a reclamada necessita de forma permanente, mas usa a contratação por prazo determinado para sonegar o pagamento do aviso prévio e de demais direitos trabalhistas" , frisou a magistrada.
A julgadora ressaltou ainda que o fato de a reclamada celebrar contrato de prestação de serviços em curto prazo com seus clientes não justifica a modalidade de contratação utilizada, já que ficou demonstrado que a empresa tem grande número de clientes que se revezam, além de necessitar de forma permanente de mão de obra.
Lembrou a magistrada que o TRT de Minas tem reconhecido, em diversas ações individuais, a ilicitude das contratações por prazo determinado celebradas pela ré. Ela ponderou que "deve ser prestigiado o ajuizamento de ações civis públicas pelo Ministério Público do Trabalho em que visam a inibição do descumprimento de normas trabalhistas, pois esse tipo de demanda faz parte da segunda onda renovatória do processo e corroboram para a diminuição de demandas individuais postulando direitos fundados nesse descumprimento, corroborando, desse modo, para a eficiência da prestação jurisdicional" .
Por fim, ressaltou que as sucessivas contratações e dispensas prejudicou uma série de empregados, razão pela qual entendeu configurado o dano moral coletivo, justificando a condenação da empresa ao pagamento de indenização arbitrada em R$10.000,00, valor esse revertido ao Fundo de Amparo ao Trabalhador.

Auxílio-acidente pode ser inferior ao salário-mínimo

Foto: Auxílio-acidente pode ser inferior ao salário-mínimo. Saiba mais: http://bit.ly/1254PIL 

O benefício do auxílio-acidente, concedido pelo Instituto Nacional do Seguro Social, não foi criado para substituir a remuneração do trabalhador, mas apenas para indenizá-lo. Logo, pode ser pago em valor inferior ao do salário-mínimo.


O benefício do auxílio-acidente, concedido pelo Instituto Nacional do Seguro Social, não foi criado para substituir a remuneração do trabalhador, mas apenas para indenizá-lo. Logo, pode ser pago em valor inferior ao do salário-mínimo.
Com essa fundamentação, a 10ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul negouApelação de um segurado da Previdência Social que queria majoração do coeficiente que calcula o auxílio-acidente, que recebe desde 1999.
O relator do recurso, desembargador Paulo Roberto Lessa Franz, manteve a sentença na íntegra, por se alinhar às razões do juízo de origem. E ainda complementou: não existe qualquer vinculação do valor do auxílio-acidente com o artigo 201parágrafo 2º, daConstituição Federal.
Em consequência, não se pode falar em afronta ou violação à referida norma constitucional, na medida em que o salário-de-benefício é que não pode ser inferior ao salário-mínimo. O acórdão, com decisão unânime, foi lavrado na sessão de julgamento do dia 7 de fevereiro.
Embora as demandas previdenciárias estejam sob jurisdição da Justiça Federal no Rio Grande do Sul, a Justiça comum tem competência para julgar alguns casos que envolvam acidentes de trabalho. Assim, no colegiado são admitidos aqueles processos em que os segurados litigam com a Previdência Social sobre auxílio-doença, auxílio-acidente e, em geral, concessão, cessão ou transformação de benefícios.
O caso
Na Ação de Revisão de Benefício Previdenciário que tramita na Vara Judicial da Comarca de Taquara, o autor alega que nenhum benefício pode ser inferior a um salário-mínimo, e o INSS vem pagando menos que o piso salarial nacional. Além da revisão do seu benefício, pediu o pagamento das diferenças das prestações vencidas, com juros e correção monetária.
Com base na Lei dos Planos de Benefícios da Previdência Social (Lei 8.213/1991) e na jurisprudência assentada na corte, o juiz substituto Juliano Etchegaray Fonseca julgou a demanda improcedente.
Ele destacou, com base no artigo 86 da lei, que o auxílio-acidente será pago ao segurado como forma de indenização, sem caráter substitutivo do salário uma vez que é recebido cumulativamente com ele quando, após a consolidação das lesões decorrentes de um acidente, resultarem sequelas que impliquem redução da capacidade laboral.
Clique aqui para ler o acórdão.

Paciente é obrigado a fazer necessidades em lixeira, dentro de hospital na Bahia




Uma foto bizarra ocorrida dentro do hospital Geral Clériston Andrade, em Feira de Santana, choca pela situação desumana ocorrida.


Um paciente do hospital, com vários ferimentos provenientes de um acidente, se encontrava necessitando realizar necessidades fisiológicas, e, em virtude do banheiro está interditado, teve que realizar ali mesmo, dentro da emergência do hospital, em um balde de lixo, em frente a todos os outros pacientes que ali eram atendidos.

Os outros pacientes, também do SUS – sistema único      de saúde – observavam a cena atônitos.


O constrangimento não se restringiu apenas a esse senhor, outros também passaram pelo mesmo, inclusive mulheres. O absurdo ocorrido se destoa da propaganda realizada pelo governador Jaques Wagner. Triste Bahia

CAI A MÁSCARA DE LUCIANO HUCK


Pra quem acha que Luciano Huck é bom moço... É só mais um tentáculo manipulador da Mídia.

Protesto


O deputado federal Efraim Filho (DEM) protestou, nesta segunda-feira (22), contra declarações ‘preconceituosas’ do jogador do Santos, Neymar, que, para diminuir os jogadores do Flamengo do Piauí, chamou os atletas de “Paraíba”. O parlamentar prometeu repercutir a fala do atleta na tribuna da Câmara dos Deputados, em Brasília.

De acordo com Efraim Filho, Neymar, está repercutindo um sentimento de preconceito existente no centro sul do país para diminuir de forma “pejorativa” as pessoas do Norte/Nordeste do país.

“Esse complexo de inferioridade é muito nocivo e nós da Paraíba não podemos ser conformar. Temos que gritar e repercutir. Assim como eu fiz com o ator de novela Aguinaldo Silva, também vou procurar repercutir contra essa palavras de Neymar. Porque nós não podemos nos conformar. Agora não adiante dizer que foi sem querer. Pode ser Neymar, ou quem quer que for, vai merecer o repúdio da sociedade. Pode ter certeza que nós vamos repercutir e eu não faço isso por questão sensacionalista", garantiu o democrata.

Efraim Filho aproveitou a oportunidade e disse que Neymar hoje se preocupa muito mais em ganhar dinheiro fazendo comercial do que ter talento jogando bola e previu que a má fase do jogador deve chegar por causa de suas atitudes.

Para acabar com o preconceito, o democrata disse que espera uma vitória do Campinense sobre o Flamengo do Rio de Janeiro para mostrar os nordestinos, principalmente os paraibanos, não são inferiores aos restante do país.

“Vou torcer para que o Campinense ganhe porque eu acho que está na hora da Paraíba ficar maior por isso”, disse o legislador confiante.

Deputado Federal Efraim Filho

Foto: O deputado federal Efraim Filho (DEM) protestou, nesta segunda-feira (22), contra declarações ‘preconceituosas’ do jogador do Santos, Neymar, que, para diminuir os jogadores do Flamengo do Piauí, chamou os atletas de “Paraíba”. O parlamentar prometeu repercutir a fala do atleta na tribuna da Câmara dos Deputados, em Brasília.

De acordo com Efraim Filho, Neymar, está repercutindo um sentimento de preconceito existente no centro sul do país para diminuir de forma “pejorativa” as pessoas do Norte/Nordeste do país.

“Esse complexo de inferioridade é muito nocivo e nós da Paraíba não podemos ser conformar. Temos que gritar e repercutir. Assim como eu fiz com o ator de novela Aguinaldo Silva, também vou procurar repercutir contra essa palavras de Neymar. Porque nós não podemos nos conformar. Agora não adiante dizer que foi sem querer. Pode ser Neymar, ou quem quer que for, vai merecer o repúdio da sociedade. Pode ter certeza que nós vamos repercutir e eu não faço isso por questão sensacionalista", garantiu o democrata. 

Efraim Filho aproveitou a oportunidade e disse que Neymar hoje se preocupa muito mais em ganhar dinheiro fazendo comercial do que ter talento jogando bola e previu que a má fase do jogador deve chegar por causa de suas atitudes.

Para acabar com o preconceito, o democrata disse que espera uma vitória do Campinense sobre o Flamengo do Rio de Janeiro para mostrar os nordestinos, principalmente os paraibanos, não são inferiores aos restante do país.

“Vou torcer para que o Campinense ganhe porque eu acho que está na hora da Paraíba ficar maior por isso”, disse o legislador confiante.

Deputado Federal Efraim Filho.

Na terceira gravidez, brasileira Rogério finalmente prova que é mulher


Uma brasileira batizada como Rogéria e que por erro foi registrada como Rogério e como se fosse de sexo masculino, está grávida pela terceira vez e finalmente, depois de vários anos, pôde convencer as autoridades que realmente é mulher.

Rogério Ramos Nogueira, como mostram ainda os seus documentos, não pôde inscrever corretamente no registro civil os seus dois primeiros filhos pois a Justiça e a própria natureza humana dizem que um homem não pode ser mãe.

Ela já tinha tentado corrigir o erro em outras oportunidades, mas perante sua terceira gravidez decidiu que isso não aconteceria com o bebê que espera nascer no próximo mês.

Para isso fez uma verdadeira operação na qual teve que lidar com inúmeros e vergonhosos trâmites para conseguir provar à pesada burocracia da Justiça que na realidade tudo era produto de um erro ocorrido há 24 anos.

Apesar de ter nascido em março de 1989, Rogéria foi levada ao cartório por seu pai quatro anos depois e foi aí que um desorientado funcionário a registrou como Rogério e, para piorar, marcou masculino na opção correspondente ao sexo sem que seu pai percebesse o erro.

Rogéria não conseguiu registrar seu primeiro filho no cartório civil porque seus documentos diziam que ela era homem, razão pela qual também não podia se casar com o pai de seus filhos.

"Foi tudo muito difícil. Até tive que ouvir uma vez um funcionário que insinuava que eu era transexual", declarou Rogéria à imprensa local da cidade onde mora, Rio Branco, capital do Acre.

O caso ganhou notoriedade primeiro através de um canal de televisão da região. Em entrevista a um site, a jovem explicou que procurou ajuda legal há mais de quatro anos, mas por causa de sua precária condição econômica não podia pagar os custosos exames ginecológicos e demais procedimentos requeridos para comprovar que é mulher.
O caso foi então assumido pela defensora pública Clara Roque Pinheiro, que esta semana, depois de quase nove meses de trâmites, conseguiu convencer os juízes.
"Finalmente houve uma sentença, um tribunal admitiu o equívoco e já começou o processo para corrigir a documentação de Rogéria, que agora poderá registrar seus filhos e até se casar", disse Roque Pinheiro à Agência Efe.
Segundo a funcionária, a Defensoria Pública do Acre atendeu só durante o ano passado cerca de 600 casos de retificações de registro, mas em sua maioria se referiam a pequenos erros nos nomes.
"Isso costuma acontecer. Há muitos casos de erros nos registros, mas não é comum que se deem com o nome e com o sexo ao mesmo tempo, o que representa um duplo problema", explicou Roque Pinheiro.

Outros casos não tão estranhos para a Defensoria Pública têm a ver com erros em certificados de óbitos, que dão como mortas pessoas que na realidade estão vivas.
O jardineiro José Leandro Mourão, de 53 anos, lida com essa situação desde janeiro, quando no final de 2012 foi ao banco tirar dinheiro da sua conta e lhe foi negado, pois a instituição tinha recebido um certificado que informava acerca de sua morte.

O certificado dizia que um homem com o mesmo nome e o mesmo número da cédula de identidade que o seu tinha falecido semanas antes em um hospital público de Brasília.

Fontes do hospital disseram à Efe que as suspeitas apontam que o funcionário que registrou a morte tenha se enganado no momento de anotá-la no sistema, no qual constava o nome do jardineiro, que já tinha sido atendido naquele hospital.

Assim como Rogéria com seu sexo, agora Mourão enfrenta um vergonhoso processo para mostrar que está vivo, ao mesmo tempo em que a polícia iniciou uma investigação para descobrir quem foi a pessoa que morreu naquele dia no hospital.

Quem tem direito á seguro desemprego?


Quem tem direito á seguro desemprego?

Quem tem direito á seguro desemprego?

Um dos acon­te­ci­mentos mais di­fí­ceis de en­carar é quando uma pessoa é de­mi­tida de seu em­prego atual, sendo que a mesma co­meça a pensar em como irá sus­tentar sua fa­mília ou so­mente ela mesma sem estar exer­cendo cargos e fun­ções em uma de­ter­mi­nada em­presa, não po­dendo re­ceber ne­nhum tipo de re­mu­ne­ração para que a mesma con­siga su­prir todas as suas ne­ces­si­dades e de­sejos di­versos.
Na lei dos tra­ba­lha­dores, há um ar­tigo que pos­si­bi­lita que, quando uma pessoa é de­mi­tida de seu em­prego, a mesma re­ceba o se­guro de­sem­prego para que, du­rante um pe­ríodo de tempo, esta re­ceba uma re­mu­ne­ração que po­derá ajudar que a mesma man­tenha-se e supra todas as suas ne­ces­si­dades, sendo que este tempo em que é dado o be­ne­fício po­derá durar até um tempo de­ter­mi­nado ou acabar antes do prazo, quando a pessoa ar­ranjar um novo tra­balho.
Muitas pes­soas pro­curam por este be­ne­fício quando são de­mi­tidas de seus em­pregos, porém poucos in­di­ví­duos sabem, exa­ta­mente, quem tem di­reito a so­li­citar este tipo de van­tagem, so­mente sendo vá­lida para al­guns fun­ci­o­ná­rios.
So­mente po­derão re­correr ao be­ne­fício do se­guro de­sem­prego aqueles tra­ba­lha­dores que não forem de­mi­tidos por justa causa, ou seja, os in­di­ví­duos que pos­suírem um mo­tivo para sua de­missão que seja justo e com­pro­vado na jus­tiça não po­derão re­correr a algum tipo de re­mu­ne­ração, além de que os fun­ci­o­ná­rios que de­sejam apro­veitar esta van­tagem de­verão pos­suir, no mí­nimo, seis meses de pres­tação de ser­viço a em­presa em questão para que seja pos­sível dis­po­ni­bi­lizar o se­guro de­sem­prego ao mesmo.

Além dos re­que­ri­mentos acima para so­li­citar o se­guro de­sem­prego, a pessoa que for de­mi­tida não po­derá ter algum tipo de renda pró­pria, ale­gando a ne­ces­si­dade deste di­reito para manter-se até en­con­trar outro local de tra­balho, sendo que a mesma não po­derá, também, re­ceber qual­quer tipo de van­ta­gens e be­ne­fí­cios de forma con­tínua, caso con­trário, a mesma não terá algum di­reito pe­rante ao se­guro de­sem­prego.
Al­gumas ou­tras exi­gên­cias são co­bradas, porém as bá­sicas são as ci­tadas acima, sendo o res­tante so­mente al­guns pontos pouco menos re­le­vantes para exigir o di­reito de se­guro de­sem­prego.

Hackers desenvolvem plataformas para divulgar os dados do Inep

Brasília - Foram 30 hackers, programadores e desenvolvedores reunidos em uma maratona de 36 horas para desenvolver, com a ajuda da tecnologia, formas criativas e efetivas de organizar e divulgar dados da Prova Brasil e do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb). Eles foram selecionados para o Hackathon. O evento é uma parceria entre o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e a Fundação Lemann, aquela que está traduzindo para o português parte da Khan Academy.

A maratona de hackers, programadores, desenvolvedores e inventores durou mais de 30 horas, da noite do dia 12 até a manhã de 14 de abril, e reuniu oito equipes em Brasília com o objetivo de desenvolver programas e aplicativos em plataformas fixas e dispositivos móveis que pudessem disseminar informações educacionais, ajudando a mobilizar a sociedade por uma educação pública de qualidade, isto é, tornar o grande banco de dados atrativo à população. Os selecionados não deixaram os computadores, nem sequer para dormir, e apresentaram aplicativos, sites, softwares ou mesmo propostas para a divulgação dos dados do Inep.
A área de inovação pode contribuir muito para a educação. Boas decisões educacionais são tomadas com base em dados. Nosso objetivo é usar o que é bacana em tecnologia para incentivar boas tomadas de decisão. Pode ser do pai, que vai escolher uma escola para colocar seu filho; do diretor da escola, que vai conhecer a escola ou do ministro da Educação, que vai ter um panoramamelhor dos dados.
Denis Mizne. Diretor da Fundação Lemann.
Uma comissão técnica selecionou três vencedores. Segundo os organizadores, assim que estiverem prontos para uso, esses programas serão oferecidos aosinteressados.

Antes da maratona, os jovens compartilharam as ideias. Fernanda Campagnucci tem 27 anos e veio de São Paulo, capital. Ela é jornalista e atua na área de educação.
Nossa intenção é criar um aplicativo para que cada escola possa selecionar sobre o que deseja ser avaliada. Disponibilizaremos indicadores e, a partir deles, cada escola terá o próprio índice. As instituições poderão comparar os números com as médias estaduais, municipais e nacionais e avaliar o próprio desempenho.
O aplicativo que será desenvolvido pela equipe de Fernanda trará também instruções aos usuários sobre os programas governamentais disponíveis, assim como os procedimentos que podem ser tomados em caso de problemas nas escolas. “A intenção é ter um espaço onde as pessoas poderão reivindicar melhorias. Indicaremos caminhos para se adquirir uma biblioteca, por exemplo, ou para entrar em contato com o secretário de Educação”.



Já o cientista da computação Fabrício Nascimento, de 26 anos, de Caraguatatuba, de São Paulo, foi incentivado por inquietação e um amigo,
Ele [o amigo] observou que, quando ascendiam economicamente, muitos pais tiravam os filhos de escolas públicas para matricular em escolas particulares, mas que nem sempre as particulares tinham uma qualidade maior que as públicas. Queremos desenvolver algo nesse sentido, um espaço onde se possa acessar a qualidade das instituições.
Para realização da prova deveriam ser usados dados de bancos públicos como os microdados do INEP e o dados.gov.br (se você acha que no Brasil não temos dados estatísticos, deveria dar uma olhada nesse site).
Esta é a primeira edição do evento. O Inep planeja tornar o Hackathon anual.

And the winners are...

O projeto “Escola que Queremos” foi o vencedor da 1ª edição do Hackathon Dados da Educação Básica. 

A equipe vencedora tinha integrantes de três estados brasileiros – São Paulo, Pernambuco e Rio Grande do Sul – e apresentou as possibilidades de um “indicador multinível”, a partir de um aplicativo que permite selecionar indicadores para a avaliação de uma escola de modo a saber se esta atende às necessidades de quem a procura. Por isso o nome: “Escola que Queremos”.

Os vencedores receberão, até 30 de abril, uma bolsa de R$ 5 mil para investir no desenvolvimento de seu produto. A equipe que ficou em segundo lugar (Projeto “Padeb”), receberá R$ 3 mil e a que conquistou a terceira posição (Projeto “Busca Escola”), R$ 2 mil. Os valores serão repassados pela Fundação Lemann, com quem o Inep estabeleceu Acordo de Cooperação Técnica para, entre outras ações, viabilizar a maratona.



As equipes vencedoras:

1º lugar: Vítor Márcio Paiva de Sousa Baptista, Adriano Bonat Alves, Fernanda Campagnucci Pereira, Luis Felipe Serrão e Pedro Dantas Palmeira Guimarães com o projeto Escola que Queremos
2º lugar: Thiago Rafael Ferreira Marques, André Luis Ferreira Marques e Matheus Lopes de Freitas com o projeto Padeb
3º lugar: Marcelo Granja Nunes , Fabricio de Sousa Nascimento, Pedro Luis Furio Raphael, Thiago Oliveira de Paiva e Carlos Eduardo Moreira dos Santos com o projeto Busca Escola

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) é uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Educação (MEC), cuja missão é promover estudos, pesquisas e avaliações sobre o Sistema Educacional Brasileiro com o objetivo de subsidiar a formulação e implementação de políticas públicas para a área educacional a partir de parâmetros de qualidade e equidade, bem como produzir informações claras e confiáveis aos gestores, pesquisadores, educadores e público em geral. Para gerar seus dados e estudos educacionais o Inep realiza levantamentos estatísticos e avaliativos em todos os níveis e modalidades de ensino, entre eles o Censo Escolar, o Censo Superior, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e oSistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb). Além dos levantamentos estatísticos e das avaliações, o Inep promove encontros para discutir os temas educacionais e disponibiliza também outras fontes de consulta sobre educação.
A Fundação Lemann é uma organização sem fins lucrativos que busca melhorar a qualidade da educação pública no Brasil, com foco em garantir o aprendizado de todos os alunos. Para cumprir essa missão, aposta em: acelerar a adoção de inovações educacionais de alta qualidade no Brasil; testar práticas que tornem nossas redes, escolas e salas de aula capazes de efetivamente garantir a aprendizagem; estimular a criação de um ambiente de tomada de decisão baseada em evidências na área educacional e investir na formação de indivíduos muito talentosos, comprometidos em liderar transformações sociais no Brasil. Entre outros projetos, a Fundação trabalha com redes públicas de educação em parcerias que levam inovação para as salas de aula (Khan Academy); projetos de formação de professores, diretores e técnicos de secretarias (Técnicas DidáticasSeminário Líderes em Gestão Escolar); e disseminação de informações de qualidade para informar políticas educacionais e tomadas de decisão (Portal QEdu).

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Criança de 11 anos está grávida do seu próprio irmão


A garota será submetida a exames de pré-natal, no hospital público do Recife,       essa menina de 11 anos, engravidou há oito meses do seu irmao por parte de mãe,   de 29 anos. A gravidez, considerada de alto risco, não poderá ser interrompida, por que a gestação já está em um estágio avançado

menina de 11 anos gravida


O pai do bebê, supostamente o irmão dela, já estava sendo procurado pela acusação de estupro de vulnerável. E foi encontrado e já foi encaminhado para Limoeiro em Recife, para um presídio, após  prestar depoimento na Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente, no bairro da Madalena.
E o meliante afirma que consentiu os atos sexuais, e que foram realizados no ano passado entre agosto e setembro.
- Ele diz que a menina por vontade própria ira até a cama dele, e que eles dormiam todos os dias no quarto. Esse crime, no caso Estupro de vulnerável pode ser pego até 15 anos de prisão, disse a delegada Lídia Mara Barci.
O acusado alega que ama a garota com quem viveu longe e não via ela como uma irmã e sim como uma mulher. Indiciado na região agreste, cidade de Feira Nova a pouco mais de 75 KM de Recife.
Lugar onde a família morava, o cidadão ainda se refugiou  para Recife, onde vivia andando pelas ruas. Diz ele, aliás, que foi pra Recife arranjar emprego para sustentar a garota e o filho. O rapaz foi encontrado pelo pai, que acionou a polícia e autuado por abuso sexual.

domingo, 14 de abril de 2013

Brasileiros contrabandeiam tomate da Argentina...


Em algumas cidades do Paraná, o preço do quilo do produto passa de R$ 8.
Ministério da Agricultura diz que, sem documentos, compra é contrabando.


Com o aumento recorde no preço do tomate, alguns consumidores de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, têm cruzado a fronteira para comprar o produto na Argentina. Nos supermercados, o consumidor paga menos da metade do valor brasileiro. NoParaná, por exemplo, em algumas cidades, o quilo passa de R$ 8.

A alta no preço em todo o país se deve aos efeitos climáticos, por conta das chuvas que afetam as plantações. De acordo com o estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgado nesta segunda-feira (8), de 18 capitais pesquisadas, o tomate, no varejo, teve alta em 12 de março. Em Curitiba teve uma oscilação de 2,86%.

Nos mercados de Porto Iguaçu, na Argentina, a procura dos brasileiros por tomate aumentou tanto que ninguém mais encontra o produto para comprar. “A gente veio rapidamente comprar porque a gente sempre está na Argentina. Então, tem que aproveitar o preço”, disse o webdesigner Marlon Brol.
No entanto, as autoridades do Brasil orientam para os riscos de cruzar a fronteira transportando tomate, pois podem perder a carga. “Esse tomate também não pode entrar porque não está sendo feita uma exportação, não tem certificado sanitário nacional. Está sendo contrabandeado”, alertou o chefe do Ministério da Agricultura Antônio Garcez.

Os smartphones não ficarão tão baratos


Smartphones mais baratos
O governo aprovou ontem, dia 09/04/2013, o decreto de desoneração de PIS/Cofins para smartphones fabricados no Brasil e informou que a medida poderia reduzir até 30% no preço final dos aparelhos. No entanto, a Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica) estima que a redução ficará na faixa dos 7%. O presidente da associação afirmou que o valor de redução apresentado pelo governo é irreal, já que os impostos desonerados somam apenas 9,25%. “Estamos considerando uma redução de 7%, que é um número razoável. Qualquer valor acima disso eu acho um pouco absurdo”, comentou.

A assessoria de imprensa do Ministério de Comunicações confirma a possibilidade de redução de até 30% nos preços. Essa porcentagem é citada para comparar uma possível diferença de valores cobrados entre os aparelhos produzidos no Brasil e modelos importados, que pagam IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).

A Abinee ainda estima que os smartphones responderão por 44% das vendas de telefones móveis no Brasil em 2013 e aparelhos mais simples 56%. Caso os números estejam corretos, serão vendidos 29 milhões de celulares inteligentes, contra 16 milhões do ano passado. Segundo o Ministério das Comunicações, cerca de 65 milhões de pessoas usam smartphones no Brasil.

O decreto entra em vigor na data da publicação, mas ainda não há informações de quando esse desconto chegará efetivamente aos consumidores. O ministro Paulo Bernardo deu como prazo o Dia das Mães.

Decreto

O incentivo ao setor faz parte do Programa de Inclusão Digital. No entanto, para garantir o benefício, o valor de venda dos aparelhos não poderá exceder R$ 1,5 mil. A desoneração também inclui roteadores digitais com preços de até R$ 150.

O decreto ainda prevê as características técnicas que o celular deverá ter para ser considerado um smartphone. Segundo o ministério, o celular precisa de conectividade Wi-Fi, navegador, email, tela igual ou superior a 18 centímetros quadrados, aplicativos desenvolvidos no país e kit de desenvolvimento do sistema operacional.

O governo acrescentou que poderá no ato estabelecer valores inferiores ao previsto, "a depender dos requisitos técnicos estabelecidos"


Leia Mais http://www.oblogdoseupc.com.br/2013/04/Os-smartphones-nao-ficarao-tao-baratos.html#ixzz2QRHRuxZ7

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Uruguai é segundo país a aprovar casamento gay na América do Sul

Brasília - Por 71 votos a favor e 21 contra, a Câmara dos Deputados do Uruguai aprovou nessa quarta-feira (10) o chamado "matrimônio igualitário" no país, equiparando o casamento entre homossexuais e heterossexuais. O texto ainda precisa ser sancionado pelo presidente José Mujica, que se pronunciou a favor da medida. A nova lei determina que "o matrimônio civil é a união permanente de duas pessoas de sexos diferentes ou iguais".A lei uruguaia aprovada estabelece mudanças noCódigo Civil, como o fim da obrigatoriedade de que o sobrenome paterno anteceda o materno no registro dos nomes dos filhos de um casal. Tanto no caso de uniões heterossexuais quanto homossexuais, a nova lei determina que a ordem do sobrenome dos filhos obedece somente à vontade de seus pais.Pela lei aprovada, ficam equiparados ainda deveres e direitos quanto a situações como o divórcio, pagamento de pensão alimentícia, a filiação e separação de bens. Na semana passada, o projeto passou pelo Senado - 23 votos a favor e oito contra. Apesar de já ter sido votado favoravelmente pela Câmara no ano passado - por 81 votos a favor e seis contra -, o texto teve de voltar aos deputados por causa de modificações feitas pelos senadores."Com essa lei, o que se reconhece é o olhar de uma sociedade heterogênea, onde não se determina quais corpos são os corretos, onde não há uma leitura homogeneizante", disse a advogada Michelle Suárez, redatora da lei e integrante do grupo Ovelhas Negras, organização de defesa dos direitos da comunidade de lésbicas, gays , bussexuais e transexuais.O Uruguai é o segundo país na América do Sul a permitir legalmente o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A Argentina foi a primeira da região a aprovar lei semelhante, em 2010. Na América Latina, a Cidade do México autorizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo em 2009. No Brasil, o Supremo Tribunal Federal reconheceu em 2011 a união estável entre casais homossexuais.No caso do Brasil por exemplo, no estado de São Paulo, desde março os cartórios deixaram de exigir autorização judicial para oficializar uniões civis homossexuais. Estados como a Bahia, Alagoas, o Paraná, Mato Grosso do Sul, o Piauí, Sergipe e o Ceará têm normas similares.

terça-feira, 9 de abril de 2013

Primeira ligação com telefone celular completa 40 anos


A primeira ligação com um telefone celular foi feita há exatos 40 anos. Em 3 de abril de 1973, o engenheiro Martin Cooper, então com 44 anos e funcionário da Motorola, foi para as ruas de Nova York fazer uma ligação com um aparelho de 1,1 kg chamado DynaTAC.

Tratava-se de um protótipo – somente depois de dez anos e investimento de US$ 100 milhões (cerca de R$ 202 milhões), a Motorola lançou o DynaTAC 8000X, considerado o primeiro telefone celular a chegar ao mercado. 


"Conforme eu andava pelas ruas falando ao telefone, os sofisticados nova-iorquinos ficavam boquiabertos ao ver alguém se locomovendo enquanto fazia uma ligação telefônica", contou Cooper à "CNN". Hoje dono da empresa de tecnologia Dyna, ele diz que o protótipo baseou-se na ideia de que as pessoas querem sempre se comunicar. "O número de telefone deveria estar associado a uma pessoa, não a um lugar", afirma o engenheiro.

Em seu site, Cooper relata que o desenvolvimento do projeto levou pouco mais de três meses, apesar de diversos elementos terem sido criados antes. O projeto da antena, por exemplo, levou dois anos e ficou pronto na época da criação do aparelho. "O mesmo aconteceu com o circuito integrado e outras partes necessárias para o telefone", relata. "O sonho de um telefone portátil existia muito antes de o aparelho ser criado."


O engenheiro afirma que o visual do protótipo foi resultado de um concurso do qual participaram cinco designers industriais da Motorola. "Escolhi o mais simples, e esse design básico durou por quase 15 anos."

Cooper diz que, já em 1973, os profissionais envolvidos no projeto acreditavam que um dia cada pessoa teria seu próprio telefone pessoal. "Por outro lado, quando o primeiro celular foi lançado em 1983, ele custava US$ 4.000 [cerca de R$ 8.000]. Não eram muitas pessoas que podiam pagar." Ele reconhece que não havia como antecipar a inclusão nos aparelhos de funções de computador, câmera e tocador de música.

O engenheiro conta ainda que tenta ter sempre o modelo mais novo de celular – na época que divulgou as perguntas e respostas em seu site, ele tinha um Motorola Droid. "Testo cada aparelho novo e interessante que chega ao mercado e, quando você ler isso, eu já terei um telefone diferente."