Loading...

terça-feira, 15 de julho de 2014

Jornalistas dão aula sobre jornalismo crítico sobre a Copa em entrevista ao "The Noite", de Danilo Gentili

The Noite, de Danilo GentiliThe Noite, de Danilo Gentili
Fato raro na TV aberta brasileira, a presença de dois jornalistas esportivos com senso crítico, Mauro Beting (Fox Sports) e Mauro Cezar Pereira (ESPN Brasil) resultou em uma proveitosa conversa sobre Copa do Mundo no "The Noite", talk show de Danilo Gentili no SBT. Falou-se do futebol no gramado ao extra-campo, o chamado "legado" que tanto se fala e que agora ganha ainda mais importância com o fim do evento.
"Em relação às mais recentes, foi [a Copa das Copas], sim. Foi a mais legal, tecnicamente. Acho que esse slogan pegou", respondeu Pereira, a Danilo Gentili, mas fazendo a ressalva: "só que ainda terão problemas, esses vindo depois da Copa: estádios que não vão servir para muita coisa", disse, referindo-se a arenas caríssimas erguidas em alguns lugares com pouca demanda de público em campeonatos de futebol.
Leia também:
Mais um campeão de 2002 manda recado para Galvão: “nunca precisei puxar saco de ninguém da mídia”
Voz falha e Galvão sofre para soltar grito “é tetra” em quarto título mundial da Alemanha

"Os nossos netos vão pagar a conta. Foi uma festa para muitos, como se imaginava, a farra para poucos, também", acrescentou Beting, igualmente preocupado sobre quem realmente ganhou com tão caro evento para apenas um mês.

"Agora, dentro de campo foi a melhor Copa que eu vi desde 1986, e 'aeroapertos', problemas da mobilidade urbana foram muito menores do que eu imaginava. Até nisso a gente goleou, e também fomos goleados, também", completou, aí já falando dos dois massacres sofridos pelo futebol brasileiro nos 7 a 1 que tomou da Alemanha, na semifinal, e nos 3 a 0 da Holanda, em disputa pelo terceiro lugar da Copa.

"Na logística, aconteceram problemas, mas numa escala menor do que eu imaginava", concordou Mauro Cezar. "Alguma dificuldade das pessoas se locomoverem [pelo país]. Na África do Sul também aconteceu. Pra não ter esse tipo de problema, só se fizer Copa na Europa, onde tudo é muito mais próximo e eles têm estrutura de ferrovias", ponderou.

"O que é lamentável é, por exemplo, algumas obras em Cuiabá que não precisa ter Copa para serem feitas. Coisas que em Porto Alegre estavam planejadas desde os anos 50, que não precisavam da Copa. Precisa é criar vergonha na cara", criticou Mauro Beting, sobre o pretexto de só se fazer obra para a população em função de um evento como a Copa do Mundo, em vez de algo só pela necessidade do povo.

O "The Noite" também aproveitou para mostrar um vídeo no qual Mauro Cezar faz um comentário bem crítico sobre a falta de atualização sobre futebol moderno do treinador Luiz Felipe Scolari, que comandou o Brasil na fracassada campanha no Mundial de 2014. Após a sua exibição, a plateia do talk show de Danilo Gentili aplaudiu a fala de Pereira.
The Noite, de Danilo Gentili

Como não poderia ser diferente, o bate-papo teve bastante de crítica à atuação do time do Brasil, que pareceu durante a Copa até exageradamente preocupado com questões menores, rituais, caso da entrada em campo com os jogadores colocando as mãos nos ombros uns dos outros, parecendo algo coreografado, artificial. Espirituosos, Mauro Beting e Mauro Cezar Pereira imitaram o gesto na entrada ao palco do programa.

Ainda sobre treinadores, Danilo questionou os entrevistados sobre o que achavam da hipótese de um profissional de outro país comandar a Seleção Brasileira. "Se ele for bom, pode ser de qualquer lugar. Não tem problema algum", respondeu Beting.

"Mas o brasileiro não entenderia isso [um técnico de fora comandando o Brasil] como uma humilhação?", insistiu Danilo. "A gente é muito prepotente e arrogante. A gente não aceita levar uma surra [7 a 1] e uma aula como a gente levou", comentou o comentarista da Fox.

"Eu acho que as pessoas tão começando a gostar dessa ideia, a entender", discordou Mauro Cezar, mas fez uma ressalva: "só que não adianta colocar esse cara lá, mesmo que seja um ótimo treinador, e ele ter de resolver tudo. É um problema da estrutura do futebol. O cara não pode ser o salvador."

"Existe uma situação no futebol brasileiro que é assim: alguns homens dominam o futebol. São os caras que presidem a CBF [Confederação Brasileira de Futebol], eleitos pelos clubes da Série A e pelas federações e não há como quebrar isso", explicou Pereira a Gentili.

E finalizou o raciocínio: "a eleição [da CBF] foi antes da Copa. O vice atual, Marco Polo Del Nero, vira presidente em 2015, e o presidente neste momento vira o seu vice em 2015, e sequer alguém conseguiu lançar uma candidatura de oposição. Esses caras são os donos e fazem o que bem entender do futebol."

Para quem teve que se contentar com a cobertura da Copa feita por Globo e Band, pelo menos até a eliminação brasileira (porque criticar depois é mole, né?), a entrevista de Mauro Beting e Mauro Cezar Pereira ao "The Noite" foi bem enriquecedora. Um raro momento de jornalismo esportivo crítico na TV aberta brasileira. Sorte do telespectador do programa do SBT.

Nenhum comentário:

Postar um comentário